Alta na conta de luz vai impulsionar mercado de energia solar

Alta na conta de luz vai impulsionar mercado de energia solar

Alta na conta de luz vai impulsionar mercado de energia solar

Com a diminuição do nível dos reservatórios e o anúncio do acionamento das termelétricas em meio à maior crise hídrica dos últimos 91 anos, a conta de luz dos brasileiros ficou mais cara neste mês após o aumento de mais de 50% no valor da bandeira tarifária vermelha 2.

Para profissionais do setor de energia solar, a preocupação dos consumidores com a possibilidade de novos aumentos tarifários, deve gerar um incremento no número de pedidos para instalação de sistemas fotovoltaicos em todas as regiões do país.

De acordo com Fábio Delgado, diretor comercial da ‎TechLux, os constantes aumentos praticados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), nos últimos meses, vão impulsionar a venda de painéis solares, sobretudo, para consumidores que estavam em dúvida sobre a realização do investimento.

Segundo ele, atualmente, a instalação de equipamentos fotovoltaicos é um ótimo investimento para clientes de pequeno porte que pensam no retorno financeiro a curto prazo. “A fonte solar é um dos melhores recursos que contribuem na redução do custo da conta de luz”, explica.

Para o engenheiro eletricista, Hugo Brito, o acréscimo na bandeira foi a gota d’água para os indecisos. “Percebemos um aumento na procura pela instalação de sistemas fotovoltaicos principalmente daqueles clientes que vinham cotando há algum tempo e estavam esperando uma situação específica para fechamento, seja por uma baixa nos preços, seja pelo aumento tanto no consumo quanto no valor da fatura de energia elétrica”.

Eduardo Nicol, CEO da Renew Energia, também relata essa movimentação. “Notei uma aceleração nos fechamentos de propostas. Tínhamos muitas propostas em aberto, onde os clientes estavam em compasso de espera, mas agora estamos sentido um maior interesse no fechamento imediato de negócios. Além disso, sentimos um aumento em torno de 40% nos pedidos de orçamento”.

E para quem já instalou um sistema fotovoltaico há meses, o melhor custo benefício, tanto ao curto, médio e longo prazo, é a previsibilidade de gastos relacionados à energia elétrica. “Tanto a família, o comerciante quanto a indústria não serão surpreendidos com o aumento na fatura elétrica nem nas bandeiras tarifárias pois o sistema solar fotovoltaico, bem dimensionado, com produtos de qualidade e profissionais sérios e competentes, irá suprir a necessidade de energia deles tendo um impacto muito baixo nos aumentos na conta de energia pois o sistema gerará em kWh e o consumo é mensurado sobre o consumo mensal  (kWh/mês)”, destaca Brito.

Aumento da tarifa

O valor da tarifa extra da conta de luz dos brasileiros ficou mais cara, na bandeira vermelha 2, a partir do mês de julho. O valor subiu de R$ 6,143 para R$ 9,492 para cada 100 kWh consumidos, conforme comunicou a ANEEL, na terça-feira da semana passada (29).

Entre os fatores apontados pela Agência para justificar a alta estão o aumento do consumo de energia nesta época do ano e o nível crítico em que se encontram os principais reservatórios do país.

Até junho de 2021, o volume médio dos reservatórios da região Sudeste/Centro-Oeste, que é responsável por abastecer cerca de 70% do Brasil, estava em 29,83%, de acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Por causa do baixo nível de água, devido ao clima seco, o acionamento das termelétricas passou a ser a solução encontrada pelo Governo Federal para reduzir o consumo da população e evitar o risco de racionamento de energia, como já ocorreu em 2001